Área 51: o que tem de tão especial nesse lugar misterioso?

A vida extraterrestre existe e foi confirmada pela cabeça da NASA, o administrador Major Charles Bolden, mas os aliens não estão escondidos na Área 51. Será?

Bom, geograficamente falando não tem nada de muito especial na Área 51. Ela é uma base do exército americano que fica localizado aproximadamente 130km a noroeste de Las Vegas, Nevada (EUA).

Área 51 – (Imagem: Telegraph)

Mas saber onde é a Área 51 não vai te fazer chegar até lá. A base é totalmente restrita para o público!

Porém brisado, historicamente falando é difícil que alguém consiga imaginar um lugar mais popular entre teóricos da conspiração do que esse. Principalmente quando se fala de coisas que possam ter vindo de outros lugares do universo!

Dizem que a Área 51 é um lugar para execução de engenharia reversa em OVNIs, com o fim de apreender a tecnologia insana que os permitiria vir de tão longe para passar as férias no meio do deserto dos EUA ou em outra parte do planeta.

E dissecações não é o que faltam! Há quem diga, de fato, que algumas espécies vivas perambulam pelas instalações dessa famigerada base.

Imagem de satélite da Área 51 (Imagem: Telegraph)

Certos teóricos dizem que quem realmente faz a Área 51 andar é uma raça de extraterrestres! Mas pra quê isso? Para produzir uma raça de seres híbridos (uma mistura de alienígena com seres humanos) que eventualmente tomará conta da Terra.

Mas o que realmente é concreto sobre tudo isso? É bem difícil saber porque a Área 51 é uma base totalmente restrita e vedada para os amantes e curiosos. Mas fique tranquilo que é possível fazer uma “engenharia reversa” para chegar até a origem de toda essa mitologia UFO.

Robert “Bob” Lazar 

A Área 51 começou a ter essa fama de especulações ufológicas no final da década de 80. Isso quando um homem chamado Robert Bob Lazar foi para a mídia afirmando que era um ex-funcionário da base militar.

Robert “Bob” Lazar (Imagem: Mega Curioso)

O cara afirmou na época que tinha trampado entre 1988 e 1989 num setor chamado “S4”. Suas tarefas eram pouco casuais: o suposto físico/cientista (cujo grau nunca foi comprovado) seria responsável por fazer a engenharia reversa em espaçonaves extraterrestres de formato de disco.

Segundo Lazar, pelo menos 9 modelos diferentes de naves foram profundamente investigados por ele e sua equipe. A ideia era descobrir e depois tomar propriedade da tecnologia de propulsão usada pelas raças alienígenas avançadas que tinham desembarcado aqui.

Ainda de acordo com ele, esse trabalho foi originalmente apresentado pelo Dr. Edward Teller (ucraniano e também conhecido como o “Pai da Bomba H”.

O poderoso combustível intergalático Ununpêntio

Toda teoria da conspiração tem que ter uma porção de dados vagamente científicos, como todo escritor de ficção científica deve saber.

Para Lazar, a concordância do que ele pregava em artigos para rádio e TV era o ununpêntio, um elemento químico transurânico e radioativo (de número atômico 115), adquirido de forma sintética até hoje.

Segundo o teorista, o ununpêntio era a fonte principal usada para propulsão das espaçonaves alienígenas desmanteladas pelo governo americano.

Lazar afirmou que a tecnologia consistia no bombardeamento do material com partículas, o que acabava “amplificando” a força nuclear, gerando uma distorção do campo gravitacional.

Assim, as naves em formatos de discos poderiam alterar dramaticamente sua relação com o espaço circundante, e assim consequentemente encurtando as distâncias percorridas, de acordo com um destino mapeado.

Lazar dizia que os estoques do poderoso material eram o presente de uma civilização extraterrestre para os povos da Terra (que deveriam usá-los em seus próprios veículos).

O elemento 115 existe sim, porém…

Em 2004 uma equipe de cientistas russos e americanos afirmaram a existência do ununpêntio, quando eles conseguiram produzir um isótopo instável do elemento 115.

Ununpêntio: isótopo “não alienígena” de meia-vida de apenas alguns segundos (Imagem: Reprodução/Wikimedia Commom)

Referente a teoria de Lazar entretanto, um dos críticos afirmou que o isótopo obtido em laboratório era incrivelmente temporário, durando apenas alguns segundos e não anos como queria Lazar.

Então Lazar jogou outro argumento baseando-se no fato de que o ununpêntio das naves da Área 51 tinha sido composto com formações estelares distantes.

Tornando-os assim mais estáveis do que o ununpêntio criado em laboratório convencional.

E o cara não parou. Disse que num futuro próximo, o 115 ainda vai nos servir como combustível.

Mas nos anos seguintes, a galera não foi acreditando muito em Lazar com sua revelação da Área 51 e de suas supostas experiências ultrassecretas. Isso porque foi constatado que ao invés dele ter um grau no respeitado MIT, sua colocação era em antepenúltimo lugar na sua escola secundária.

Placa Área 51 em Nevada (EUA) – (Imagem: Telegraph)

E também os próprios EUA tornaram público há muito tempo a existência da Área 51.

Ainda assim, depois de várias teorias da conspiração e um número enorme de contribuições de Hollywood para a mitologia da area, é pouco provável que ela deixe a cabeça dos adoradores tão cedo.

E o motivo é único e mais velho que o Papai Noel: o vácuo deixado por informações concretas pode ser ocupado por praticamente qualquer coisa! Qual é a sua história?

 

Leia também: Área 51: que porra de lugar é esse? Quais teorias existem?

 

Fonte: Live ScienceMega Curioso e Telegraph

Comments

comments

Comentários no Facebook