A HISTÓRIA POR TRÁS DO FILME A MALDIÇÃO DA CASA WINCHESTER É MAIS ASSUSTADORA DO QUE O FILME!

A história por trás do filme “A Maldição da Casa Winchester” consegue ser mais assustadora do que o próprio filme. Você vai entender o porque.
Sente só essa brisa.

Tudo começou em um pico na Califórnia, em uma mansão em San Jose, conhecida como A “Winchester Mystery House”. Lá, morou uma mina muito foda chamada Sarah Winchester. Ela era esposa do magnata dono de uma imensa empresa de rifles, William Wirt Winchester, só que acabou ficando viúva depois de um tempo.  A mansão Winchester carrega um estilo vitoriano muita brisa! O lugar é conhecida por seu tamanho, suas curiosidades arquitetônicas e sua falta de qualquer plano de construção. É um marco histórico da Califórnia e a casa está protegida pelo Registro Nacional de Lugares Históricos. Ele é de propriedade privada e serve como uma atração turística. Bem foda, né galera?

A parte sinistra envolvendo a mansão Winchester começou logo na construção em 1884. Pra você ter uma idéia, os próprios Winchester acusavam a casa de ser assombrada pelos fantasmas dos mortos com rifles Winchester. Sob a orientação do casal magnata, a construção começou, sem interrupção, até sua morte em 5 de Setembro de 1922, altura em que o trabalho cessou imediatamente.

O biógrafo de Sarah Winchester, no entanto, afirma que a esposa de William Winchester demitia rotineiramente os trabalhadores. Após a morte de seu marido em 1881, Sarah Winchester herdou mais de 20,5 milhões de dólares. Ela também recebeu cerca de cinquenta por cento da Winchester Repeating Arms Company, dando-lhe uma receita de cerca de US $ 1.000 por dia, o equivalente a cerca de 23.000 por dia em 2013. Essa herança deu-lhe uma enorme quantidade de dinheiro que ela usou para financiar a construção da residência.

Já que você pira em saber as histórias por trás dos filmes de terror, você precisa conhecer a do filme A FREIRA. O bagulho é sinistro demais galera! Confira no vídeo do nosso canal! Aproveite e se inscreva.

Motivo da construção

A mídia da época, afirma que depois que o marido da Sara morreu, ela chamou um médium para canalizar o espírito de seu falecido marido. O espírito disse que ela deveria deixar sua casa em New Haven e viajar para o Oeste, onde ela devia construir uma casa para ela e os espíritos de pessoas que tinham sido vítimas de rifles Winchester. Ai que começou a loucura toda!

Sarah Winchester deixou New Haven e se dirigiu para a Califórnia. Embora seja possível que ela estava simplesmente buscando uma mudança de local e um passatempo durante sua longa depressão, outras fontes afirmam que Sarah chegou a acreditar que sua família e fortuna eram assombradas por fantasmas, e que apenas mudando-se para o oeste ela poderia apaziguar os espíritos.

Chegada na California

Em 1884, ela comprou uma casa inacabada no Vale de Santa Clara e começou a construir sua mansão. Carpinteiros foram contratados e trabalharam na casa dia e noite até que se tornou uma mansão de sete andares. Ela não usou um arquiteto e ia acrescentado cômodos ao edifício de uma forma aleatória. Por isso, a casa contém numerosas excentricidades, como portas e escadas que vão a lugar nenhum e janelas com vistas para outros quartos.

Antes do terremoto de 1906, a casa tinha sete andares de altura, mas hoje tem apenas quatro andares. A casa é predominantemente feita de pau-brasil, madeira preferida da viúva. Foram usados cerca de 78.000 litros de tinta para pintar a casa. A casa em si é construída usando uma base flutuante que se acredita ser o motivo do seu desabamento parcial no no terremoto de 1906 e 1989.

Este tipo de construção permite que a casa desloque-se livremente, uma vez que não é completamente ligada à sua base de tijolos. A mansão tem 160 cômodos, incluindo 40 quartos, 2 salões (um concluído e um inacabado), bem como 47 lareiras, mais de 10.000 painéis de vidro, 17 chaminés (com evidência de outras dois), dois subsolos e três elevadores.

Propriedade

A propriedade tinha cerca de 162 acres, mas a propriedade já foi reduzida para 4,5 acres – o mínimo necessário para a casa e anexos nas proximidades. O local tem lustres de ouro e prata e uma vasta gama de cores e materiais de decoração. Devido à artrite debilitante da Sra. Winchester, escadas especiais foram instaladas.

Itens de conforto eram raros na época da construção da casa. A mansão tinha aquecimento a vapor de ar forçado, três elevadores, um dos quais era alimentado por uma válvula horizontal de pistão. Sra. Winchester nunca economizou na decoração, o que contribuiu para a sua beleza arquitetônica. Muitos dos vitrais foram criados pela Tiffany Company.

Quando Winchester morreu, todas as suas posses foram para a sua sobrinha e sua secretária pessoal. Sua sobrinha, em seguida, levou tudo o que ela queria e vendeu o resto em um leilão privado. Ela supostamente levou seis caminhões que trabalharam oito horas por dia durante seis semanas para remover todos os móveis da casa.

A mansão foi vendida em um leilão para um investidor local por 135.000 dólares. Em fevereiro de 1923, cinco meses após a morte de Winchester, a casa foi aberta ao público, com Mayme Brown servindo como o primeiro guia de turismo. Harry Houdini visitou a mansão em 1924 e chamou o local de Mystery House (Casa Misteriosa).

Hoje a casa é propriedade de Winchester Investments LLC, uma empresa privada que representa os descendentes de John e Mayme Brown. A casa mantém toques exclusivos que refletem as crenças da Sra.Winchester e sua preocupação relatada com afastar espíritos malévolos.

Já que você pira em saber as histórias reais por trás dos filmes, você já ouviu a verdadeira história por trás do filme A FREIRA? Pode ter certeza que é tão assustadora quanto essa que você acabou de ler! Confira o vídeo do nosso canal! E não esqueça de se inscrever pra não perder mais nada do que está por vir.

Fonte (1).

Comments

comments

Comentários no Facebook