Essa escrota do caralho matava suas amigas e as transformava em sabão e com o sangue fazia bolinhos!

Pensa numa mulher escrota e insana de ruim. Uma pessoa que perdeu completamente o senso comum, chegando a limites extremos que você provavelmente só veria em filmes de terror. Pois bem, essa é a história da Leonarda, que infelizmente foi fruto de um suposto estupro e uma gravidez indesejada, atentou contra sua própria vida ainda na adolescência. Seus pais queriam se livrar dela, tentaram isso, arranjando um casamento com um comerciante logo que ela completasse uma idade “boa” para tal, que na época girava em torno dos 15 anos. Porém, ela não aceitou resistindo até os 23 anos.

Já em 1917, Leonarda estava louca para sair do inferno da casa dos pais e com isso acabou se casando com Rafaelle Passardi, que era atendente de registros civis. Muito revoltada, sua própria mãe lhe rogou uma praga. Pesado né? Sente o nível.

Foto/Reprodução

Não demorou muito para começar algumas desgraças bem pesadas. Seu marido foi preso em 1927, por fraude, três anos depois em 1930, a casa deles foi totalmente destruída por um terremoto. Seria efeito das pragas que sua mãe havia lhe rogado? Leonarda, que já era extremamente supersticiosa, ficou ainda mais cismada.

Dito e feito: Leonarda ficou grávida impressionantes 17 vezes. Dessas três ela sofreu abortos espontâneos, dez filhos acabaram morrendo ainda na adolescência, todos vítimas de doenças. Restando somente quatro, com os quais ela era extremamente protetora. Porém, ela tinha um favorito, o mais velho, que se chamava Giuseppe, ela acabou sendo recrutado pelo Exército no ano de 1939, para a 2.ª Guerra Mundial que estava prestes a estourar.

Foto/Reprodução

Leonarda disposta a fazer qualquer coisa para salvá-lo, decidiu pela seguinte lógica: que seu filho se salvaria se outra pessoa fosse sacrificada “no lugar dele”. Para isso, ela apelou para sua fama de vidente com alguns dons espirituais: A vítima poderia ser qualquer senhora da região de Correggio que também eram supersticiosas e se consultavam com ela.

Sua primeira vítima foi Faustina Setti. Leonarda disse para ela que, para conseguir materializar o marido que Faustina tanto queria, ela teria que seguir os seguintes passos, ir para uma Pula (na atual Croácia) de lá enviar uma carta para seus parentes como se realmente estivesse morando lá, feliz e casada. Esse era o álibi perfeito para Leonarda: assim que Faustina fez tudo o que ela pediu, Leonarda lhe deu vinho com inúmeros tranquilizantes e depois a matou com um machado.

Foto/Reprodução

Leonarda então usou o sangue de sua vítima para fazer bolinhos, que ela servia para às outras mulheres que a visitava para as consultas (até Giuseppe gostava dos bolinhos).

Ela cortou o corpo de Faustina em nove partes, depois disso dissolveu em soda cáustica e despejou em uma fossa. Depois disso, Leonarda também conseguiu se apoderar do dinheiro e dos bens de Faustina.

Foto/Reprodução

Porém, Leonarda ainda estava muito preocupada com o filho e ela não parou por aí. No ano de 1940, exatamente em setembro, em menos de 30 dias, assassinou outras duas clientes, que procuravam um novo emprego.

O estilo dos crimes foram os mesmo: cartas falsas, o vinho com tranquilizantes o uso do machado. Entretanto, dessa vez ela fez algo ainda mais bizarro e assustador, ela simplesmente misturou o sangue das vítimas com gordura e perfume e fez sabão.

Novamente ela se apoderou dos bens e das joias de suas vítimas. Porém, a cunhada da última mulher assassinada desconfiou do desaparecimento repentino e procurou a polícia.

Depois de algumas investigações, Leonarda foi presa e confessou logo no primeiro interrogatório. Foi julgada em 1946, e sentenciada a 30 anos de prisão e outros três anos de tratamento em um manicômio criminal.

Foto/Reprodução

Leonarda viveu mais que todos os seus filhos, com 76 anos ela morreu de hemorragia cerebral.

 

Leia também: Ele se vestia de palhaço para assassinar os jovens, conheça John Wayne Gacy

 

Fonte: Zip Notícias.

Comments

comments

Comentários no Facebook