Freddie Mercury: A história da festa mais insana dos anos 70

FRED
Essa festa pra lá de muita brisa, começava em uma pegada assim:

Quem entrava no role, era imediatamente saudado por um grupo de anões hermafroditas que ofereciam cocaína em tabuleiros devidamente atados às cabeças. Calma isso é só o começo…

Foi no Halloween de 1978 que o músico mais treta da época, Freddie Mercury, teve a brilhante ideia de transformar a festa de lançamento do álbum Jazz num acontecimento inesquecível: “fuck the cost, darlings, let us live a little”.

Orçamento: £200.000.
Local: Hotel Fairmont, em Nova Orleães.
Convidados: cerca de meio milhar, entre estrelas de rock e de cinema, amigos e “loyal journalists”.
Mantimentos: ostras, lagostas, o melhor caviar do Mundo, tudo com muito álcool.

Freddie pediu que lhe trouxessem pessoas de rua, “to liven things up”. Apresentaram-lhe um homem xarope das ideias, que arrancava as cabeças das galinhas com os dentes e uma mulher mais crazy ainda que aceitava o pagamento de $100.000,00 para se auto-decapitar com uma moto-serra… que festinha hein? o_o

Fortalecidos por “lines of marching powder as long and as thick as your grandemother’s arm”, os convidados tinham um menu de diversões exóticas e brisa à sua escolha. As salas do hotel estavam transformadas em labirintos, por onde surgiam mágicos, guerreiros zulus, contorcionistas, engolidores de fogo, drag-queens e strippers transexuais. As bebidas eram servidas por empregados e empregadas totalmente peladas; estas pediam, educadamente, que as gorjetas não fossem colocadas no tabuleiro mas numa sua qualquer cavidade corporal, ou seja na bunda e onde sua mente achar que deve colocar essa grana. Modelos sem roupa, de ambos os sexos, fingiam lutar, imergidos em poças de fígado de porco cru. Mulheres gordíssimas, de Samoa, estavam sentadas por todo o lado, fumando cigarros pela vagina e outros orifícios. Quem fosse dar um pulo até à casa de banho, tinha direito a um serviço oral, fornecido por prostitutos ou prostitutas, à escolha. “Os hotéis oferecem serviço de quartos, nós oferecemos serviço de lábios”, comentou Freddie Mercury.

Essa é a história da festa mais insana dos anos 70, conhecida como “Saturday Night in Sodom”.

Fonte: O Vila Condense e Queen Live.

Comments

comments